Baixa Reserva Ovárica – Influencia a possibilidade de uma gravidez natural?

Stress e infertilidade
Janeiro 18, 2023
Falhas de Implantação
Novembro 19, 2023

Baixa Reserva Ovárica – Influencia a possibilidade de uma gravidez natural?

Artigo escrito por Filipa Calisto, doutorada em bioquímica


Baixa Reserva Ovárica – Influencia a possibilidade de uma gravidez natural?

A fertilidade feminina diminui com a idade devido à diminuição da qualidade e quantidade dos oócitos, também conhecida como reserva ovárica.  Quando se trata de prever as probabilidades de conceção natural, a idade é frequentemente o fator mais importante a ser considerado. Existem vários biomarcadores da reserva ovárica, como a hormona anti-mülleriana (AMH), a hormona foliculo estimulina (FSH) e a hormona inibina-1B [1]. Os níveis séricos da AMH refletem o somatório dos folículos em crescimento e por isso é amplamente usada para prever a reserva ovárica e o sucesso da reprodução medicamente assistida.

Mas pode a AMH ser realmente ser um indicador confiável para a gravidez natural, considerando a sua estreita ligação com a reserva ovárica?

Uma meta-analise que incluiu 11 estudos científicos (4388 mulheres), concluiu que os níveis baixos de AMH não influenciaram a conceção natural em mulheres com menos ou mais de 35 anos, ou seja, não estão associados à redução da fertilidade nestes dois grupos [2]. Os níveis de AMH também mostram uma fraca associação à taxa de implantação dos embriões e à taxa de gravidez em mulheres que estão a realizar procedimentos de reprodução medicamente assistida [3]. No entanto, a AMH parece ser um bom marcador para prever a resposta ovárica durante um procedimento de fertilização in vitro [4].

Cada jornada de fertilidade é diferente e por isso é importante seguir todas as instruções dadas pela sua equipa médica. Eles conhecem melhor a sua jornada de fertilidade e podem dar conselhos relevantes para cada situação específica.

 

Referências

  1. Penzias, A. et al. Testing and interpreting measures of ovarian reserve: a committee opinion. Fertil Steril 114, 1151–1157 (2020).
  2. Lin, C. et al. The Value of Anti-Müllerian Hormone in the Prediction of Spontaneous Pregnancy: A Systematic Review and Meta-Analysis. Front Endocrinol (Lausanne) 12, (2021).
  3. Tal, R., Tal, O., Seifer, B. J. & Seifer, D. B. Antimüllerian hormone as predictor of implantation and clinical pregnancy after assisted conception: A systematic review and meta-analysis. Fertil Steril 103, 119-130.e3 (2015).
  4. Broer, S. L. et al. AMH and AFC as predictors of excessive response in controlled ovarian hyperstimulation: a meta-analysis. Hum Reprod Update 17, 46–54 (2011).

 


 

Comments are closed.

Cart

O seu carrinho está vazio.